Publicada em 01/07/2007
 
Bicentenário de Um Herói
 
 
No próximo dia 4, quarta-feira, comemoramos o bicentenário de nascimento de Giuseppe Garibaldi, 'o herói dos dois mundos'. Muito se escreveu sobre este líder quase lendário, que marcou a história do Rio Grande do Sul e da unificação da Itália, com seus feitos de coragem e bravura, ao lado de Anita, mulher também corajosa que ele foi buscar no anonimato de Laguna. Deixando de acompanhar o pai na Marinha Mercante, Garibaldi sofreu forte influência dos ideais republicanos de Giuseppe Mazzini, ardoroso defensor da unidade italiana. Em vista disso, participou de diversos levantes na sua pátria de origem, sendo obrigado a fugir para o Brasil, em 1835. Aqui encontrou terreno fértil para fazer desenvolver suas idéias, principalmente em contato com a recém-criada República Rio-Grandense. Lutou ao lado dos farrapos, que combatiam o Império do Brasil, por causa dos pesados impostos cobrados especialmente na comercialização do charque. Transpôs inúmeros obstáculos, que viraram verdadeiras epopéias na vida de Garibaldi, como o de levar até Laguna, por terra, dois lanchões - Seival e Farroupilha, ao longo de 86 quilômetros, em carros puxados por 200 bois. Diante da iminente queda da República Rio-Grandense, Bento Gonçalves dispensou Garibaldi, que, antes de retornar ao seu país, deixou registrada a bravura dos farrapos: 'Eu vi corpos de tropas mais numerosas, batalhas mais disputadas, mas nunca vi, em nenhuma parte, homens mais valentes, nem cavaleiros mais brilhantes que os da bela cavalaria rio-grandense, em cujas fileiras aprendi a desprezar o perigo e combater dignamente pela causa sagrada das nações'. Confirmando o ditado 'Ao lado de um grande homem, sempre há uma grande mulher', Garibaldi teve em Anita uma companheira fiel de todas as horas. Ela comandou tropas, batalhou, foi presa, mas sempre esteve ao lado do guerreiro, sendo considerada na Itália, onde está sepultado seu corpo, em Roma, exemplo de luta e coragem em prol de um ideal. A historiadora Elma Sant'Ana, presidente do Instituto Anita Garibaldi, pesquisou documentos na Itália e na França para melhor comemorar o bicentenário de Garibaldi, que, a partir do dia 4, tem programações em diversos municípios, com destaque para o que leva seu nome, Garibaldi. Assim, o exemplo de Anita dá realce especial à mulher gaúcha e brasileira.
 
 
Correio do Povo
Opinião/ Pág.
Autor: Victor José Faccioni
 
 
ENVIE ESTA NOTÍCIA:
  
   
E-mail remetente:
E-mail destinatario:
  
 
 
Outras Notícias